domingo, 27 de Maio de 2012

Saude Reprodutiva e o HIV SIDA

SAÚDE REPRODUTIVA E HIV/SIDA



INTRODUÇÃO
Com este trabalho espero ter respondido as questões da cadeira de Saúde Reprodutiva e HIV/SIDA, onde tem quatro respostas das quatro perguntas. Cada resposta de cada pergunta, esta relacionada com a realidade de cada dia do nosso país sobre a saúde reprodutiva e a sexualidade.
Os conteúdos que serão destacados têm a ver com a influência dos factores sócio-culturais no comportamento sexual; a relação entre sexo, género e direitos sexuais; o futuro dos jovens face a epidemia e por fim vou falar da polémica do medicamentos anti-retro virais.


a)      A influência da cultura e os valores sócio - culturais do comportamento sexual da comunidade e o exemplo concreto.
A influência da cultura e os valores sócio - culturais do comportamento sexual de comunidade da minha origem, é determinado e influenciado com crenças, tabus e mitos como qualquer outra comunidade. A tradição e cerimónias tradicionais tem um poder supersticioso nos países africano como Moçambique e na minha Comunidade de origem, sendo assim, é preciso haver uma grande sensibilização no sentido mudança de comportamento por parte dos indivíduos face a vida sexual reprodutivo e HIV/SIDA.
No caso da minha comunidade de origem (Senas), há uma cerimónia denominado “Pitakufa”. Esta cerimonia ocorre ou realiza –se  quando um membro de uma família perde a vida, o marido por exemplo, depois de sete dias a família reúne e escolhe um familiar (ou alguém de fora caso não haja um familiar par o efeito e é pago). A pessoa passar alguns dias com a viúva mantendo relações sexuais, e este contacto sexual com a viúva realiza-se sem protecção porque deve seguir as normais e valores tradicionais da comunidade.
 O governo deve criar políticas para sensibilizar as comunidades, de modo a mudar certas pratica que afecta a vida sexual reprodutiva. A mensagem que deve ser usada, deve sempre por em conta os valores tradicionais e a linguagem deve ser bem seleccionado para evitar choques com a população das zonas rurais principalmente.


b)      Em relação ao sexo, género, direitos reprodutivos e sexuais, relacionado com a prática quotidiana com o teor do texto.
As considerações sobre direitos sexuais reprodutivos no sentido de colocar um posicionamento na perspectiva transformadora das relações sócias, da luta contra os preconceitos, da garantia de bem-estar e finalmente, da relação entre a sexualidade reprodutivo e a cidadania. E são feitas algumas reflexões sobre os desafios, como o género que desde muito lançou as ideias que vão historicamente produzir o conceito de direitos reprodutivo a servir de base para a construção de direitos sexuais entre ambos os sexos. Os direitos reprodutivos e sexuais hoje estão reconhecidos como valores democráticos e estão na agenda política do estado e dos governos locais, Moçambique esta muito avançado no assunto com as leis já aprovados. No género, os direitos dizem respeito a igualdade e a liberdade na esfera da vida reprodutivo. Os direitos sexuais dizem respeito a igualdade e a liberdade no exercício da sexualidade, o que significa tratar a sexualidade e reprodução como dimensões da cidadania e consequente da vida democrática.
Faz parte de um reconhecimento que levara as mulheres a defender a liberdade sexual das mulheres como direito relacionado com a sua autonomia de decisão na vida sexual reprodutiva. De uma certa forma, há uma recuperação das reflexões e lutas originais das mulheres contemporâneo, superando-se a centralidade da heterossexual que pautava, na origem das manifestações por liberdade sexual reprodutiva. Para o género, a condição de sujeito construtora de direitos reprodutivo e sexuais significa romper com a heteronomia a que sempre estiveram submetidas, em relação ao uso de seus próprios corpos, uma vez que todas as regras e tabus que controlaram e reprimiram suas vivências corporais na sexualidade e na reprodução foram historicamente determinados pelos homens.
É importante salientar que a persistente desigualdade entre homens e mulheres é um impedimento para a liberdade reprodutivo e sexual das mulheres. A violência na vida quotidiana tem sido um forte mecanismo de manutenção da dominação sobre a vida sexual das mulheres.


c)      Os jovens, o futuro da nação e são eles que se garanta um desenvolvimento integral em relação a Saúde Reprodutiva e o teor do modulo.
Para garantir um desenvolvimento integrado dos jovens perante a epidemia de HIV/SIDA, os mesmos jovem é que podem mudar o futuro face a todas questões relacionadas a saúde reprodutivo e o futuro do país. Um assunto de extrema importância para os jovens que fazem parte da camada mais vulnerável a infecção por ITS/HIV/SIDA. A sexualidade de jovens deriva do alargamento rápido da doença, o paradigma dominante e de que estes constituem um grupo de risco que se engaja em praticas sexuais de risco, para além de drogas e o alcoolismo, o que resulta numa segregação da sua sexualidade. O acesso a informação para os jovens é limitado pelos tabus sexuais e pelas ideias que prevalecem nas famílias no sentido de lhes transmitir a apenas conhecimentos. A maior ênfase deve situar se no amplo contexto social e familiar no qual os jovens expressam a sua sexualidade.
A educação sexual constitui um dos temas transversais propostos no paramento do Ministério de Educação e Cultura para orientar os jovens, apesar de o ministério estar a desenvolver alguns projectos como a da Geração BIZ nas escolas para os jovens, mais devia fazer mais. Porque os jovens deve receber educação de modo a ter a responsabilidade e valorizar o seu corpo e o futuro do pais, para isso, deve conhecer hábitos saudáveis, construir conhecimentos dentro dos sentimentos de auto-estima e auto-confiança. Os currículos escolares devem ter objectivos de desenvolver os jovens a consciência crítica e tomar decisões responsáveis a respeito da sua sexualidade, prevenindo-se contra as doenças e não descriminação.
Todos os projectos e actividades ligados ao HIV seria importantes envolver os jovens, visto que, estão a desenvolver a sua identidade, construindo atitudes, crenças e opções acerca da sexualidade em decisões e acções que promovam a equidade de género e evitem comportamentos que os colocam em perigo e também os seus parceiros, assim como as crianças que teriam no futuro e para o desenvolvimento do nosso país. É igualmente imperioso encorajar os jovens a examinar o desafio as expectativas e normas culturalmente prescritas que levem a comportamentos de risco, propiciando assim a infecção pelo HIV/SIDA. De um modo geral os profissionais de educação, comunidade e pais devem desencadear reflexões do seu quotidiano com os jovens abrindo as portas para os futuros trabalhadores da nação.


d)      A polémica da HIV/SIDA, minha opinião e respectivos conselhos a dar alguém que precisa baseando no teor da unidade e na pratica quotidiana.
A polémica da HIV/SIDA relacionado com a diminuição das dozes de AZT e também a introdução de anti-retrovirais agressivos ao organismo humano. Os médicos continuam a prescrever anti-retro vira sem explicar os pacientes sobre os efeitos colaterais das dozes.
O conselho que poderia dar alguém que precisa de um tratamento anti-retroviral, primeiro iria lhe explicar que antes de ser tratado com medicamentos tais como o AZT ou anti-retroviral, deve procura um medico para uma explicação adequada do assunto porque estes medicamentos são muito agressivos e tem efeitos colaterais fatais se não ser bem medicado com especialista da área. E também quando a dieta alimentar que deve obedecer ao longo do tratamento porque as vezes sem se alimentar pode causar a morte como muitas vezes acontece em Moçambique para alem de abandono ao tratamento.
A questão de corrupção e um assunto muito serio no nosso pais, e as politicas do governo estabelece e afirma que todos medicamentos para o tratar de HIV são gratuitos e também seria importante informar lhe esta parte, porque pode encontrar aqueles que gosta de vender medicamentos nos hospitais do estado. Essa questão de venda de medicamentos leva com que muitos pacientes desistam o tratamento, por falta de informação relativamente clara.
 Por outro lado a medicação é importante do tratamento para muitos paciente, pois é a única esperança para um seropositivo, especialmente quando combinada com aconselhamento e outras terapias comportamentais. Duma maneira geral, os programas de tratamento devem avaliar HIV/SIDA, hepatite B e C, tuberculoso e outras doenças infecto-contagiosa, bem como promover aconselhamento para evitar ou modificar comportamentos de risco.



CONCLUSÃO
Posso afirmar em jeito de conclusão que atendendo ao papel ainda decisivo da família nos ensinamentos sobre a sexualidade e seus valores, a educação sexual a nível dos programas deve reconhecer essas realidade sem todas as suas dinâmicas e diversidades.
Os jovens deve ter uma assistência para que, de forma consciente, explorem, afirma e desenvolvem os seus próprios sentimentos, atitudes e valores sobre as distintas dimensões da sexualidade. E apoiar os jovens a aumentar a auto-estima, habilidades sociais para desenvolver relações equitativas de apoio mutuo e prazeroso, incluindo de uma sexualidade baseada na igualdade do género.




BIBILIOGRAFIA
1.      AVIRA, Fernando bastos de, Pequena Enciclopédia de Moral e Civismo. Rio de Janeiro. FENANE, 1972.
2.      FOUCAULT, Michel, Historia da Sexualidade, Oeiras; Certas Editora. 1978.

2 comentários:

  1. Gostei e agradeco do fundo do meu coracao pelo texto que me enriqueceu bastante na materia sobre a polemica do HIV-SIDA

    ResponderEliminar

  2. Houve um monte de dúvidas sobre a cura da aids hiv, eu também estava duvidaram, mas agora eu tenho a acreditar que o milagre que eu recebi também pode ser de grande ajuda para o mundo. Meu nome é Angela meu email é angelafreeeman@gmail.com Eu vivi com esta doença mortal por mais de um ano, o meu marido descobriu que estávamos ambos HIV positivo. Tentamos por todos os meios para viver nossas vidas, apesar de essa coisa no nosso corpo é somente quando nós tropeçavam este poderoso herbalista que ele retratou cura. No início, estávamos mais cético, mas meu marido insistiu em dar-lhe uma tentativa e pedimos para algumas de suas ervas e algumas semanas após a conclusão do processo devido a este fitoterapeuta, fomos para um teste como também dissemos, nós foram esmagados felicidade quando recebi os resultados na clínica. A taxa de vírus no corpo e caiu dentro de algumas semanas, fomos completamente cicatrizado. Também perguntou por que ele não veio para o mundo que ele tinha a cura e ele disse que fez em 2011, mas foi rejeitada pela equipe de pesquisa internacional. A coisa mais importante é para você ser curado, se você quer saber sobre esta chamada fitoterapeuta em +2349032913215 ou e-mail: odincurahiv@gmail.com. Deus te abençoe. .

    Fale agora odincurahiv@outlook.com

    ResponderEliminar